Quadril

Quadril

A bursite no quadril é uma patologia que causa a inflamação da Bursa que recobre o trocânter maior, uma proeminência óssea situada na lateral do quadril. A maioria dos tratamentos para a doença é feita por meio conservador, descartando a cirurgia.

O que é?

A bursite no quadril ou bursite trocantérica é uma patologia que causa a inflamação da Bursa, que é uma bolsa gelatinosa localizada em várias partes do corpo. Também conhecida como bolsa sinovial, ela tem a função de facilitar o movimento dos tendões e da articulação em geral. No quadril, existem quatro bursas, uma delas recobre o trocanter maior, que é uma proeminência óssea localizada na lateral do quadril.

Quais as causas?

Várias causas estão relacionadas ao desenvolvimento da bursite de quadril, como lesões ou micro lesões que tenham deixado sequelas no paciente, como cair sobre o quadril ou batê-lo na borda de uma mesa. Atrito excessivo por movimentos repetitivos e intensos que podem gerar lesões, como ao andar de bicicleta, subir escadas ou ficar de pé por muito tempo.

Outros fatores importantes que contribuem para o desenvolvimento da bursite de quadril são as doenças que aumentam a chance de desenvolvê-la, como bico de papagaio, artrite reumatoide, artrose de quadril ou torções no joelho. Até mesmo tratamentos cirúrgicos podem contribuir para o desenvolvimento da patologia, como é o caso de artroplastias ou outras cirurgias de quadril.

Quem faz parte do grupo de risco?

Pessoas de ambos os sexos podem desenvolver a bursite de quadril, mas as mulheres possuem mais chance, assim como os idosos. Praticantes de esportes de alto impacto, como o judô e pessoas que realizem alongamentos com o quadril em superfícies duras, também estão sujeitas à doença.

Quais são os sintomas?

Existem diversos sintomas que compõe as características da doença, como a dor na coxa e na parte externa do quadril, que piora durante atividades em pé (como andar, subir e descer escadas ou andar de bicicleta) e queimação no local. Vale lembrar que a dor é pior à noite, pois o corpo encontra-se mais relaxado e, portanto, mais perceptível a dores.

Outros sintomas bem aparentes são o inchaço e as pontadas no local. Apesar da existência de quatro bursas no quadril, os sintomas da doença para todos os casos são os mesmos e se manifestam da mesma forma.

Como é feito o diagnóstico?

Já na etapa do diagnóstico, o ortopedista especialista em quadril vai analisar alguns dados do paciente, como: histórico médico e familiar dele, um breve relato da rotina e uma lista com os sintomas sentidos.

Após esse processo, o médico realiza o exame físico, que é composto de uma série de movimentos com o quadril e a coxa no intuito de analisar os músculos abdutores e extensores. Esses movimentos visam estudar a mobilidade do paciente e verificar com exatidão o local da dor.

Exames de imagem como radiografias, ultrassonografias, ressonâncias magnéticas ou mesmo tomografias, são pedidos mais no intuito de descartar outras possíveis doenças ou mesmo auxiliar na escolha por um tratamento mais adequado para a bursite de quadril.

Determinado o diagnóstico? Quais são os tratamentos disponíveis?

Existem dois tipos de tratamento: o conservador, também conhecido por convencional e sem a necessidade de operação, e o cirúrgico. No primeiro que é o mais indicado para a maioria dos casos e apresenta excelente taxa de melhora no pacientes, há uma série de indicações, como:

  • Medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios para controlar a dor.
  • Compressas de gelo sobre a parte lateral do quadril em um período de 20 a 30 minutos por no máximo três vezes ao dia.
  • Utilização de uma bengala ou muletas para auxiliar na locomoção e não forçar a parte do quadril lesionada.
  • Modificação das atividades, de modo a realizar repousos do quadril ou, se necessário, afastamento do trabalho.
  • Sessões de fisioterapia com exercícios de alongamento sobre os tecidos que fazem pressão sobre a Bursa.
  • Em alguns casos, injeção de corticoides para aliviar a dor com a devida autorização do médico.

Entretanto, em alguns casos o tratamento conservador pode não ser totalmente eficiente e a mobilidade do paciente continuar prejudicada, dessa forma, é indicado o tratamento cirúrgico. Uma das cirurgias mais utilizadas é a bursectomia, que consiste na retirada da Bursa inflamada e pode vir acompanhada de reparos em tecidos danificados por conta da bursite.

Esse tipo de cirurgia é realizado por meio de um procedimento muito seguro e inovador chamado de artroscopia, que consiste em realizar três cortes grandes o suficiente para inserir os instrumentos necessários para realizar a cirurgia, incluindo uma micro câmera para avaliar as estruturas internas.

Informações de recuperação e pós-operatório

Nos casos sem a necessidade de cirurgia, não há segredo, o paciente deve seguir o protocolo médico e concluir o tratamento conforme o ortopedista especialista em quadril indicar. No mais, é imprescindível manter uma dieta balanceada rica em nutrientes e praticar esportes, de modo a largar o sedentarismo. Já nos casos de cirurgia por meio de artroscopia, o paciente pode ser liberado do hospital em um prazo de até três dias e deve iniciar a fisioterapia para fortalecer a musculatura. Tudo sobre orientação médica.

Fonte: Dr. Rogério Naim Sawaia (Ortopedia e traumatologia - Cirurgia do quadril)

Clínica Memorial

Av. Santo Antônio, 53
Jardim Nomura - Cotia - SP
CEP: 06716-710

Fone:
(11) 4616-0406 (WhatsApp)
(11) 4148-8843
(11) 4148-2572
(11) 4206-4376

Fax: (11) 4148-2572

Horário de atendimento

Atendimento médico
Segunda a sexta - 08h00 às 18h00

Fisioterapia
Segunda a sexta - 08h00 às 18h00

Academia
Segunda a sexta - 08h00 às 20h00

Responsável Técnico

Dr. Luis Antonio Buendia
CRM: 79752
Ortopedia e Traumatologia
Cirurgia da mão

Dúvidas?

Fale com um de nossos atendentes.

Por telefone:
(11) 4616-0406 (WhatsApp)
(11) 4148-8843
(11) 4148-2572
(11) 4206-4376

Ou clique aqui e faça sua pergunta.